Líderes Adoradores Fazendo Discípulos

Publicado em 04/03/2014 14:56


Fui ministrar em uma igreja situada em uma pequena cidade a uns 70 km de minha residência, cerca de 1 hora de viagem. Logo que saí de casa, percebi que o combustível estava quase no final, mas como o horário estava um pouco avançado, deixei para abastecer meu veículo após a reunião.

Saí da igreja por volta das 22 horas e busquei imediatamente um posto de combustível. Para minha surpresa, todos já estavam fechados. A cidade mais próxima ficava há uns 15km e era caminho para casa, dirigi-me para lá. Qual foi a minha surpresa, os postos também estavam fechados, e, para ajudar, no painel do carro havia uma mensagem: “autonomia zero”.

Liguei para a concessionária que administrava a rodovia e pedi socorro, pois não havia mais postos na estrada. Bom, depois de todo o transtorno e o vexame, consegui chegar em casa por volta das 2 horas da manhã. Foram inúmeros os erros que cometi neste dia: saí apressadamente para uma reunião importante, não observei as prioridades, fiquei vulnerável aos perigos de uma rodovia, enfim, muitos foram os erros que pretendo nunca mais cometê-los.

Algum tempo depois, este episódio veio em minha mente trazendo algumas lições que me fizeram aprender a diferença entre urgência, importância e prioridade. A primeira diz respeito ao tempo ou prazo para se executar uma tarefa. A segunda, fala do quanto representa esta tarefa na conquista dos nossos objetivos, e, a última, é a soma das duas primeiras. A fórmula é simples: (U + I) = P.

Mas, o que eu quero dizer com tudo isto? Em nossa liderança, principalmente falando de uma liderança discipuladora, que é aquela em que cumprimos o nosso papel como mentores e formamos discípulos, funciona tal como o veículo citado na ilustração. Se este veículo não for devidamente abastecido em tempo, comprometerá toda viagem e trará grandes transtornos.

No episódio, me dirigi à reunião, cumpri o meu papel ministrando a inúmeras pessoas, mas por minha negligência sofri no retorno para casa, e os ouvintes daquela reunião sequer souberam do acontecido. Por isso, pergunto: Como está você, líder adorador e discipulador?

Vamos a igreja, ministramos ao coração das pessoas e as conduzimos a uma adoração, mas ao mesmo tempo, sabemos que estamos com as nossas energias espirituais quase que esgotadas e o retorno para casa poderá ser comprometido. O que é prioridade em questões como estas? Por isso, precisamos, urgentemente, estar cheios o suficiente para cumprimos o nosso verdadeiro papel.

Precisamos resgatar a nossa verdadeira espiritualidade espelhada no modelo de Cristo para vivermos uma liderança adoradora e discipuladora. João falando de Cristo disse: “Nele estava a vida, e esta era a luz dos homens”. (João 1:4). Cristo veio ao mundo, embora ter se esvaziado da forma de Deus e ter assumido a forma de servo (Filipenses 2:7), Ele veio cheio de vida!!! É isso, e que precisamos fazer!!!

Precisamos compreender que neste mundo que vivemos, urge a necessidade de sermos íntegros espiritualmente. Integridade nos fala de algo que é completo, que é inteiro. Veja o que o apóstolo Paulo escreveu aos irmãos de Éfeso: “Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito, para que Cristo habite em seus corações mediante a fé; e oro para que vocês, arraigados e alicerçados em amor, possam, juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus”. (Efésios 3:16-19).

Nas palavras de Paulo, destaco: “íntimo do seu ser”, “Cristo habite em seus corações”, “arraigados e alicerçados em amor”, “sejam cheios da plenitude de Deus”. Quer mais integridade do que esta? A nossa liderança só levará o título de “adoradora” e “fazedora de discípulos” quando formos íntegros; quando o nosso modelo for Cristo; quando formos abastecidos pelo Espírito Santo para irmos onde Ele nos direcionar e voltarmos de onde Ele quiser que voltemos sem transtornos no caminho.

Por fim, ser líder, adorador e discipulador, necessário é levar a sério as palavras de Cristo: “No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura. Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade”. (João 4:23-24). Caso contrário, seremos vazios e não cumpriremos a nossa missão.

Em Cristo,

Pr. Emerson Alves

Por ocasião da 3ª ELLO – Escola de Liderança e Louvor realizada em 2014

Tags: ,

Leia também

O Professor como Animador de Inteligências

Você considera seus alunos inteligentes? Já observou se eles pensam bem antes de responder a uma questão mais elaborada? Costumam compreender, interpretar e assimilar o conteúdo recebido, com certa facilidade? O que significa ser inteligente? O vocábulo “inteligência” vem da junção de duas palavras latinas, inter “entre” e eligere “escolher”. No sentido amplo, inteligência é […]

Poder e Esperança

Você já disse algum dia diante de alguma dificuldade “Me sinto impotente” (sem poder)? Todos nós precisamos de um poder que está além de nós mesmos, mas eu acho que esse nosso anseio não vem apenas da necessidade de termos poder, precisamos de poder e esperança. PODER – É a ferramenta que usamos para derrotar […]

7 Erros que um Casal não pode Cometer

Por: Pr. Josué Gonçalves 1. NÃO LEVAR A SÉRIO OS VOTOS CONJUGAIS QUE FIZERAM NO DIA DO PACTO. “Prometo te amar em qualquer circunstância até que a morte nos separe.” 2. PERMITIR QUE A FAMILIARIDADE GERE O DESRESPEITO. Um dos desafios no casamento, é manter o espírito romântico e a gentileza como quando os dois […]

Pureza Palatal

Considerado principal alimento da humanidade, o pão faz parte de nossa história de vida. Do hebraico LECHEM, o termo aparece mais de 280 vezes no Antigo Testamento, significando “alimento” ou “sustento”. Nem sempre ele foi leve e fofo.

Ao Pé da Montanha

Muitas vezes nós nos encontramos rodeados de montanhas que aos nossos olhos parecem ser impossíveis de serem superadas. Montanhas de dificuldades, de desafios, de acúmulos de tarefas que precisamos cumprir ao longo de um determinado período e outras. Em situações como estas, somos tomados pela falta de motivação, de desejo, de ânimo e de forças. […]